Número_de_dívidas_dos_consumidores_cai_em_janeiro.jpg

A melhora do cenário econômico tem possibilitado que os belo-horizontinos reduzam o número contas em atraso. De acordo com Indicador de Dívidas em Atraso da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), em janeiro deste ano, o número de dívidas registrou queda de 3,56% na comparação com o mesmo mês de 2018. “Estamos em um ambiente melhor do que em outros anos. Os indicadores macroeconômicos (inflação, juros) estão em patamares menores, o que tem contribuído para que parte da população regularize suas pendências e quitem algumas contas atrasadas, reduzindo assim o número de débitos”, afirma o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva. “Essa queda das dívidas, que vêm sendo apresentada desde março de 2017, é positiva para o comércio, pois permite que os consumidores possam, aos poucos, voltar ao mercado de consumo de bens de maior valor agregado e que demandam crédito”, acrescenta. Na variação mensal (Jan.19/Dez.18), também houve decréscimo de 1,5%.

Na análise por faixa etária, a maioria das dívidas registradas ocorreu entre as pessoas de 65 a 94 anos (+14,1%). “Muitas pessoas desta faixa etária são as responsáveis financeiramente pelas famílias, sentindo mais no bolso os reflexos do aumento do custo de vida. Muitas, inclusive, vivem apenas com a renda da aposentadoria e têm que arcar com um número elevado de despesas” esclarece Silva.

Inadimplência recua na variação mensal

Em janeiro, na variação mensal (Jan.19/Dez.18) houve um recuo de 0,41% no número de inadimplentes entre os consumidores da capital. Esse foi o primeiro ano, desde 2011, que este indicador apresenta queda nesta base de comparação. “Essa queda da inadimplência confirma a melhora do ambiente econômico. Aos poucos o desemprego vem diminuindo e com isso as pessoas têm mais renda disponível para pagar suas contas e evitar a inadimplência”, comenta o presidente da CDL/BH. Já na comparação anual houve um leve acréscimo de 0,04% na inadimplência entre os belo-horizontinos.

A maioria dos consumidores inadimplentes são os com idade entre 65 a 94 anos (+17,01%). A análise segmentada por gênero mostra que o endividamento entre as mulheres (-0,27%), mesmo apresentando decréscimo, está em menor intensidade de queda em relação aos homens (-1,29%). “A taxa de desemprego ainda é maior entre o público feminino, com isso elas possuem menos renda para quitar seus débitos em atraso”, explica o presidente da CDL/BH. “Além disso, o rendimento médio das mulheres é 38,45% menor que dos homens”, acrescenta.

O indicador de dívidas de pessoas jurídicas em atraso junto ao SPC da CDL/BH apresentou em janeiro, na comparação com o mesmo mês do ano anterior (Jan.19/Jan.18), alta de 2,63%. Embora tenha apresentado aumento nessa base de comparação, o indicador vem crescendo em ritmo mais lento em relação aos anos anteriores. “A economia do País vem se recuperando de forma gradual, assim como as empresas, que, aos poucos, vão conseguindo organizar suas finanças, aumentar sua capacidade de pagamento e reduzir o número de dívidas”, comenta o presidente da CDL/BH. Na variação mensal (Jan.19/Dez.18), o número de dívidas se manteve neutro, sem apresentar queda ou avanço.

O número médio de dívidas de pessoas jurídicas em janeiro de 2019 foi de 1,94 por empresa. No mesmo período do ano anterior, era de 2,01 por CNPJ.

Já em relação a inadimplência, em janeiro de 2019 houve crescimento de 6,15% no número de pessoas jurídicas inadimplentes, quando comparado com o mesmo mês de 2018.  Na base de comparação mensal (Jan.19/Dez.18), houve um crescimento de 0,41% no número de pessoas jurídicas inadimplentes em Belo Horizonte. Mesmo com alta, os índices da inadimplência são menores do que os apresentados nos últimos quatro anos. “A economia já dá sinais de melhora consistentes. Alguns setores retomaram as vendas e as taxas de juros cederam, tornando a renegociação de dívidas menos onerosa”, explica Silva.

Baixe os gráficos e comparativos em: https://bit.ly/2XpLwMP

  • Created on .
  • Last updated on .

Varejo, serviços e reformas

2019.01.17-20.18.13-01.jpg

Por Marcela Kawauti

Economista-chefe do SPC Brasil

Aos poucos, vamos tomando conhecimento dos dados econômicos do fechamento de 2018. O IBGE acaba de divulgar o desempenho do varejo e do setor de serviços. Comecemos pelo varejo, apurado através da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC).

Um resultado que chamou a atenção na PMC foi a queda do volume de vendas do comércio varejista, na comparação entre dezembro e novembro de 2018. O recuo foi de 2,2%, num mês que, como se sabe, concentra datas comemorativas bastante importantes para o setor. Seria esse mais um reflexo persistente da crise?

Na verdade, não. A queda do mês de dezembro sucede a alta muito expressiva do mês de novembro, quando o volume de vendas avançou 2,9% na comparação com outubro, o que sugere um ganho de importância da Black Friday. Aqui, é importante frisar que estamos comparando apenas dois meses. E se mirarmos um horizonte maior? Nesse caso, vamos encontrar que, ao longo de 2018, o volume de vendas do comércio varejista cresceu 2,3% na comparação com 2017. Quando avaliamos o chamado varejo ampliado, que inclui a venda de veículos, motocicletas e materiais de construção, a alta foi de 5,0%.

Já o setor de serviços continuou a exibir queda na comparação anual. O recuo do volume de serviços prestados às famílias foi de 0,1% na comparação entre 2018 e 2017. Cumpre notar, porém, que no auge da crise, os recuos eram ainda mais fortes.

Dado após dado, vamos confirmando o lento processo de retomada da economia. O ritmo ainda não é o desejado, mas a percepção de que o quadro melhorou (ou deixou de piorar), já começa a aparecer em sondagens com os empresários. O Indicador de Confiança do MPE mostra, por exemplo, que é crescente o número de empresários que notam alguma evolução nos últimos seis meses.

Ao reunir-se, em fevereiro, para definir a taxa básica de juros da economia (a SELIC), que se manteve em 6,5% ao ano, o Banco Central enfatizou a importância das reformas e ajustes na economia brasileira, apresentados como condição para que inflação permaneça baixa – em janeiro de 2019, a inflação acumulada em 12 meses chegou a 3,78%, um resultado bastante confortável, a se considerar o histórico do país.

Com o início da nova legislatura, acaba de ser colocada à mesa uma proposta de reforma do sistema previdenciário. Há também a expectativa de que, em seguida, o governo possa seguir com discussões sobre o sistema tributário e sobre as questões trabalhistas. É um caminho para destravar o investimento e acelerar a recuperação.

  • Created on .
  • Last updated on .

juiz de fora

Estão abertas as inscrições para os cursos de pós-graduação da PUC Minas, com início das aulas no 1º semestre de 2019. As inscrições devem ser feitas até o dia 22 de fevereiro de 2019 pela internet: www.pucminas.br/pos. Em Juiz de Fora, a PUC Minas atua em parceria com o Colégio Santa Catarina e os cursos são voltados para profissionais que buscam aprimoramento e inovação em suas áreas, com a qualidade e a tradição da instituição. Serão ofertados 21 cursos lato sensu (especialização e master) nas áreas de direito, enfermagem, engenharia e gestão. Confira as ofertas: https://goo.gl/cn2tKR

A Universidade oferece também cursos de pós-graduação lato sensu com foco na formação de professores. Gestão Pedagógica: supervisão e inspeção escolar é a oferta disponível na cidade, no mesmo período da campanha. Saiba mais: https://goo.gl/4pgmWi

Bolsas e Descontos

A Universidade concede 15% de desconto para os ex-alunos do Colégio Santa Catarina que cursaram todo o ensino médio na instituição. Colaboradores do Colégio (além dos cônjuges e filhos dos funcionários e professores) também terão o desconto, que é valido para todos os cursos de pós-graduação lato sensu.

BH e interior

A PUC Minas oferece cursos de pós-graduação em diversas áreas do conhecimento, nos campi e unidades em Belo Horizonte, região metropolitana e no interior de Minas Gerais. São mais de 400 ofertas lato sensu em todas as áreas do conhecimento, entre cursos de especialização tradicionais, master e cursos de pós-graduação lato sensu específicos para formação de professores.

Financiamento em 48x

Por meio do ​ programa de incentivo educacional Intersector é possível financiar a Pós-graduação lato senso (especialização e master) e Formação e Aprimoramento de Professores em até 48x. Mais informações: https://goo.gl/oNZB7Q.

SERVIÇO:

Período: até o dia 22/02/2019
Inscrições online pelo site: www.pucminas.br/pos
Mais informações: (31) 3319-4444.

  • Created on .
  • Last updated on .
Seus_documentos_sumiram_-_Saiba_o_que_fazer_em_caso_de_roubo_ou_perda.jpg

Perder os documentos é uma situação que ninguém gostaria de passar. Se você já perdeu sua carteira, seja por descuido, extravio ou até mesmo por ser vítima de roubo ou furto, sabe a frustração e a série de problemas que isso traz, além do prejuízo financeiro.

A maior de todas as dores de cabeça é, sem dúvidas, o risco de fraude em seu nome. Com seu CPF e RG, além de outros dados que podem ser facilmente fabricados, pessoas mal-intencionadas podem fazer empréstimos em seu nome, compras online com cartões, e outras fraudes.

Como proceder em caso de perda de documentos?

1. Registro de Boletim de Ocorrência

O primeiro passo que você deve fazer no caso de perda, furto, roubo ou extravio de documentos pessoais (RG, CPF. Título de Eleitor, Passaporte, etc), talão de cheques ou cartões de banco é se dirigir a Delegacia de Polícia mais próxima e registrar a ocorrência imediatamente.

Em Juiz de Fora, você pode fazer isso pela internet, através da Delegacia Virtual. No endereço você pode registrar casos em que envolvam perda ou extravio de documentos e objetos pessoais, como: CPF, RG, carteira de trabalho, título de eleitor, cartões de crédito, cheques, relógio, celular, equipamentos eletrônicos e outros.

2. Comunicar os órgãos de proteção ao crédito

Feito o B.O., é importante comunicar os órgãos de proteção ao crédito do ocorrido. Para isso, a CDL Juiz de Fora possui o SPC Alerta. Uma vez cadastrado o alerta no sistema de crédito, caso alguém tente realizar uma operação (compra, abertura de contas, financiamentos, empréstimo) o comerciante que fez a pesquisa pelo nome será informado do bloqueio e de que está diante de fraude.

O procedimento para comunicação de bloqueio de documentos ou cartões é muito simples: basta ir até a CDL com o Boletim de Ocorrência registrado por você.

Empresas podem usar o SPC Alerta para se protegerem

Para ficar mais protegido, você pode monitorar o seu CPF em tempo real. Com o “SPC Avisa”, você encontra a solução para garantir a segurança do seu maior bem: o seu nome.

Essa ferramenta é importante na prevenção de fraudes e constrangimentos. Ao contratá-la, você receberá informações sempre que seu nome for incluído, excluído ou alterado no banco de dados do SPC Brasil. 

3. Solicitar a 2ª via dos documentos pessoais

Após adotados os procedimentos acima, você deverá solicitar nova via do documento pessoal – é a chamada segunda via.

O local onde deve ser solicitada a 2ª via do documento varia de documento para documento.

Seguindo esse passo-a-passo você não tem com o que se preocupar! Acompanhe nosso blog para mais dicas de segurança financeira!

  • Created on .
  • Last updated on .
Blog_Post_-_Como_escolher_a_Máquina_de_Cartão_de_crédito_ideal_para_seu_negócio.jpg

O avanço da tecnologia traz um valor agregado que é sempre muito importante em todas as áreas dos bens de consumo e serviços: o conforto.

A cada inovação que aparece, consumidores ganham mais opções e mais poder de decisão, tornando a competitividade entre os negócios muito mais acirrada e fazendo com que pequenas coisas sejam o fator decisivo para escolher entre uma empresa ou outra.

Não precisamos pensar muito para ver como esses pequenos confortos influenciam na compra. Temos como alguns exemplos o crescimento do Uber, que com poucos toques e sem a necessidade de carregar dinheiro pode chamar um carro para você em qualquer lugar, sem você nem precisar saber o endereço em que está.

Outro caso de sucesso são os aplicativos de delivery: muito mais cômodos do que carregar panfletos com telefones de restaurantes, várias vezes com valores antigos que já foram reajustados, para depois ficar no telefone e finalmente fazer o pedido.

Nossa maneira de comprar mudou

Essas mudanças, vindas com a tecnologia, obrigam as empresas a se adaptarem. Uma das transformações mais profundas até hoje veio com o cartão de crédito. O “dinheiro de plástico” já dominou o mercado por completo.

Pense e responda: você usa mais o dinheiro vivo ou cartão para pagar suas compras? Caso tenha respondido dinheiro, você faz parte de uma minoria.

De acordo com o Banco Central, em levantamento realizado em julho de 2017, as operações com cartões de crédito atingiram 5,9 bilhões de transações anuais. No caso do cartão de débito, esse número já chega a 6,8 bilhões de operações.

Segundo análise da Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito (Abecs), boa parte desse crescimento tem a ver com a expansão do débito no interior do país nos últimos anos: 58,1% de todo o valor de compras com cartões de débito ocorreram em cidades do Interior, contra 41,9% das capitais.

Os cheques, em compensação, continuam em queda. Em 2016, conforme o Banco Central, ocorreram 879 milhões de operações com cheques, o que representa uma baixa de 14% em relação a 2015. O valor envolvido nas operações com cheques teve queda de 12%.

A máquina de cartão é uma necessidade. Mas qual delas escolher?

  1. Escolha uma máquina de cartão que aceite mais de uma bandeira

Obter uma máquina de cartão de crédito é uma excelente estratégia para aumentar as vendas, como já falamos acima. Mas para isso, é importante escolher uma maquininha que aceite mais de uma bandeira. Isso multiplicará o poder de venda do seu negócio, aumentando ainda mais a cartela de clientes!

  1. Conheça as Taxas da Máquina de Cartão

Ao adquirir a sua máquina, uma das coisas mais importantes são as taxas para seu cartão. As principais taxas são as seguintes (elas podem ter nomes diferentes):

Contrato de fidelidade: Em sua maioria, as empresas cobram um valor fixo pago todo mês para manter a máquina em sua empresa. Mas não pense que são todas, há aquelas que não cobram mensalidade!

Percentual sobre as transações: as empresas aplicam um desconto percentual em todas as transações feitas na máquina de cartão. Quanto maior esse percentual menos lucro para você.

  1. Com fio ou sem fio? Com WI-FI ou sem WI-FI?

Algumas máquinas precisam estar o tempo todo ligadas à energia e ao cabo telefônico. Outras são sem fio, mas precisam de WI-FI para funcionar. Saiba qual é a correta para seu negócio antes de pedir a sua!

  1. Controle financeiro

É muito importante que a sua máquina tenha algum portal ou software que permita a você ter fácil acesso a suas informações financeiras.

  1. Disponibilidade de rede

Essa é uma qualidade essencial para sua máquina. Você já entrou em uma loja e, na hora de pagar, a máquina do vendedor estava sem sinal? Esse tipo de problema é grave, pois gera muito desconforto e insatisfação com o cliente que, além de não levar o produto, ainda corre o risco de não voltar mais em sua loja.

A solução da CDL para os lojistas

Para ajudar na decisão de empresários de toda a Zona da Mata e região, a CDL Juiz de Fora fechou uma parceria com a Bin para trazer as melhores máquinas de cartão do mercado, com as melhores condições para seus associados.

A Bin chegou para facilitar os pagamentos eletrônicos e impulsionar o seu negócio com soluções simples, equipe dedicada e taxas competitivas.

Ela oferece maior facilidade nos pagamentos eletrônicos, tendo como suporte a líder global no segmento, que realiza cerca de R$ 3 trilhões em transações por ano no mundo.

  • A Bin oferece taxas competitivas para pagamento na função crédito, débito e parcelamento, proporcionando uma redução nos seus custos de venda;
  • Com a Bin você também pode receber antecipadamente as vendas com cartão de crédito;
  • Aceita as principais bandeiras do Mercado;
  • Não possui contrato de fidelidade;
  • A empresa não precisa alterar o domicílio bancário.

Quer saber com conseguir a sua? Entre em contato conosco pelo telefone (32) 3249-2800.

  • Created on .
  • Last updated on .
FAÇA-AS-PAZES-COM-SEU-CREDITO_post.jpg

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Juiz de Fora (CDL-JF) conclui o ano de 2018 com um balanço positivo de suas ações durante a campanha “Faça as pazes com seu crédito”. Com o objetivo principal de resgatar a receita dos associados, colaborar com a recuperação de crédito dos consumidores e fomentar ainda mais o comércio, a campanha atendeu mais de 900 pessoas, entre os dias, 03 e 10 de dezembro.

De acordo com Caio Gandra, supervisor comercial da CDL, “muitas receitas dos associados, que já eram consideradas como prejuízo, puderam ser recuperadas. Os consumidores tiveram a oportunidade de renegociar suas dívidas com condições especiais e descontos ofertados que variaram entre 10% e 90%, de acordo com política de cada empresa. Esses consumidores puderam ficar adimplentes novamente e agora poderão voltar a consumir, fazer compras e assim impulsionar o comércio” destaca ele.

Ao todo, mais de 50 empresas associadas à CDL participaram da campanha, todas atuantes nos mais diversos setores do comércio, como, por exemplo, prestação de serviço, atacado, varejo, vestuário e financeiro.

Uma delas foi a Caixa Econômica Federal, que contou, inclusive, com um funcionário de plantão no guichê de atendimento da CDL.  Para o gerente de Atendimento e Negócios da Caixa, Tiago Vitor de Lourdes, “com a campanha foi possível ter um maior contato com os clientes que possuem restrições. Além de oferecer alternativas e descontos, a ação é mais uma maneira de demonstrar que a regularização de débitos é possível e importante para ambas as partes”.

Outro parceiro que integrou o “Faça as pazes com seu crédito” foi o Bahamas Card. Segundo Josilene Soares Lopes, uma das administradoras da empresa, a “campanha tem uma repercussão muito importante em Juiz de Fora. Acredito que muitos inadimplentes ficam no aguardo dessa oportunidade para conseguir ter seu nome retirado do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). No nosso caso, por exemplo, aproximadamente 35% dos clientes que estavam nessa situação conseguiram realizar acordos” enfatiza.

A Unimed também participou da campanha e alcançou bons resultados. De acordo com Claudia Gentile, analista de comunicação, “presencialmente na CDL, foram realizados mais de 70 atendimentos. Foram negociações objetivas que nos permitiram conhecer a necessidade de cada cliente. Isso é ótimo para ambas as partes. Parabenizamos a CDL pela iniciativa e o sucesso da campanha” conclui.

Segundo o presidente da CDL, Marcos Casarin, a campanha “foi um sucesso e os objetivos foram alcançados. Conseguimos resultados muito bons e as empresas conseguiram recuperar o esperado! Para 2019, já estamos planejando novas edições da campanha “Faça as pazes com o seu crédito”. Reafirmo aqui, o compromisso incansável da Câmara de Dirigentes Lojistas de Juiz de Fora, em contribuir para que o comércio da cidade cresça cada vez mais forte, juntamente com o sucesso dos associados e o poder de compra dos consumidores” finaliza.

  • Created on .
  • Last updated on .

Dados do Indicador de Recuperação de Crédito feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) aponta que em abril houve um aumento de 3% no número de pessoas recuperando o crédito por meio de pagamento integral ou renegociação. O índice é o maior desde outubro de 2015. Para obter os dados foi observado o número de consumidores que estavam registrados como inadimplentes.

Ainda de acordo com o diagnóstico, a região Sudeste é a que mais abaixou o número de inadimplentes (33%), seguido do Nordeste, com 26%, e o Norte, que totalizou 25% das pessoas solucionando suas pendências.

A maior parte, ou seja, 56% das dívidas pagas, é referente a instituições financeiras, como cartões de crédito, financiamentos, empréstimos e seguros, seguidos de contas de água e luz (23%), crediário ou boletos ligados ao comércio (11%).

Para saber mais dados do Indicador, acesse: bit.ly/2IEqsdP

cdl materia recuperacao credito

  • Created on .
  • Last updated on .

Com 15% a mais de downloads, app conquista novos usuários na cidade

 Comida boa, ambientes autênticos e muita descontração! Esses foram os principais aspectos que permearam os “butecos” da cidade entre os dias 13 de abril e 06 de maio. Em sua oitava edição em Juiz de Fora, o Comida di Buteco movimentou de forma significativa os 20 estabelecimentos inscritos e contabilizou 40% a mais de votos em relação ao ano passado.

E se o assunto é cozinha de raiz, o CDL Descontos & Vantagens não poderia ficar de fora e também comemora os resultados expressivos: só na ocasião do evento, o número de novos usuários saltou em 15%, ou seja, são mais 400 celulares conectados a um mundo exclusivo de ofertas. Isso porque, durante os 24 dias, a equipe da CDL Juiz de Fora percorreu os 15 bares associados apresentando as vantagens do app. Quem baixou o aplicativo na hora, concorreu a vouchers no valor de R$50,00.

“A CDL Juiz de Fora foi uma patrocinadora muito engajada e exerceu um importante papel na divulgação do concurso, no incentivo aos estabelecimentos e na oferta do aplicativo. Isso enriqueceu ainda mais nosso evento. É uma parceria que, sem dúvidas, pretendemos manter nas próximas edições”, salienta o organizador do evento Toninho Simão.

O presidente da CDL Juiz de Fora, Marcos Casarin, ratifica. “A participação no Comida di Buteco reafirma nosso compromisso em fomentar a economia local e estimular a melhoria contínua dos estabelecimentos. São objetivos bem alinhados com o concurso que oportunizaram dias de bons negócios para os empreendedores e momentos prazerosos para o público”.

Este ano, o Bar do Torresmo, localizado no bairro Ipiranga, levou o título de melhor boteco da cidade, com o prato "Moelinha à moda de buteco".

  • Created on .
  • Last updated on .

Endereço

Rua Halfeld, 414 , 3º andar
Centro - Juiz de Fora / MG
CEP: 36010-900
Telefone: (32) 3249-2800
Localização

Email Corporativo