icon consulta2       icon certificado

         ico social facebook
ico social instagram

Pós-graduação PUC Minas: inscrições abertas para cursos em Juiz de Fora

 

Estão abertas as inscrições para os cursos de pós-graduação da PUC Minas, com início das aulas no 2º semestre de 2018. Em Juiz de Fora, a oferta acontece em parceria com o Colégio Santa Catarina. As inscrições devem ser feitas, até o dia 11 de agosto, pela internet no pucminas.br/iec. São cursos voltados para profissionais que buscam aprimoramento e inovação em suas áreas de atuação, com a qualidade e a tradição da PUC Minas. Os candidatos terão isenção da taxa de inscrição até o dia 09 de julho. Após o período, a taxa de inscrição será de R$ 40,00.                                                                                                                                             

Em Juiz de Fora, a PUC Minas oferece cursos de pós-graduação em: Automação Industrial, Ciências Penais, Direito Processual Civil e Argumentação Jurídica, Enfermagem em Urgência, Emergência e Trauma, Engenharia Automotiva, Engenharia de Estruturas, Engenharia de Processos Industriais (M. Eng.), Gerenciamento de Projetos, MBA em Comunicação e Marketing, MBA em Gestão Estratégica de Finanças, MBA em Gestão Estratégica de Negócios, MBA em Gestão Estratégica de Pessoas e o MBA em Gestão Estratégica em Sociedades Cooperativas.

Para o 2º semestre de 2018, a Universidade oferece também cursos de pós-graduação lato sensu com foco na formação de professores. Em Juiz de Fora, será ofertado o curso de Educação Criativa.

Bolsas e Descontos

A Universidade concede 15% de desconto para os ex-alunos do Colégio Santa Catarina que cursaram todo o ensino médio na instituição. Colaboradores do Colégio (além dos cônjuges e filhos dos funcionários e professores) também terão o desconto, que é valido para todos os cursos de pós-graduação lato sensu.

BH e interior

A PUC Minas oferece ainda cursos de pós-graduação em diversas áreas do conhecimento, nos campi e unidades em Belo Horizonte, região metropolitana e no interior de Minas Gerais. São mais de 250 cursos lato sensu em todas as áreas do conhecimento, entre cursos de especialização tradicionais, master e cursos de pós-graduação lato sensu específicos para formação de professores.

Mais informações: (31) 3319-4444 e www.pucminas.br/iec.

Número de consumidores com dívidas regularizadas tem maior alta desde o final de 2015

Dados do Indicador de Recuperação de Crédito feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) aponta que em abril houve um aumento de 3% no número de pessoas recuperando o crédito por meio de pagamento integral ou renegociação. O índice é o maior desde outubro de 2015. Para obter os dados foi observado o número de consumidores que estavam registrados como inadimplentes.

Ainda de acordo com o diagnóstico, a região Sudeste é a que mais abaixou o número de inadimplentes (33%), seguido do Nordeste, com 26%, e o Norte, que totalizou 25% das pessoas solucionando suas pendências.

A maior parte, ou seja, 56% das dívidas pagas, é referente a instituições financeiras, como cartões de crédito, financiamentos, empréstimos e seguros, seguidos de contas de água e luz (23%), crediário ou boletos ligados ao comércio (11%).

Para saber mais dados do Indicador, acesse: bit.ly/2IEqsdP

CDL Matéria Recuperação de crédito 02

CDL Descontos & Vantagens no maior concurso de comida de raiz do Brasil

Com 15% a mais de downloads, app conquista novos usuários na cidade

 Comida boa, ambientes autênticos e muita descontração! Esses foram os principais aspectos que permearam os “butecos” da cidade entre os dias 13 de abril e 06 de maio. Em sua oitava edição em Juiz de Fora, o Comida di Buteco movimentou de forma significativa os 20 estabelecimentos inscritos e contabilizou 40% a mais de votos em relação ao ano passado.

E se o assunto é cozinha de raiz, o CDL Descontos & Vantagens não poderia ficar de fora e também comemora os resultados expressivos: só na ocasião do evento, o número de novos usuários saltou em 15%, ou seja, são mais 400 celulares conectados a um mundo exclusivo de ofertas. Isso porque, durante os 24 dias, a equipe da CDL Juiz de Fora percorreu os 15 bares associados apresentando as vantagens do app. Quem baixou o aplicativo na hora, concorreu a vouchers no valor de R$50,00.

“A CDL Juiz de Fora foi uma patrocinadora muito engajada e exerceu um importante papel na divulgação do concurso, no incentivo aos estabelecimentos e na oferta do aplicativo. Isso enriqueceu ainda mais nosso evento. É uma parceria que, sem dúvidas, pretendemos manter nas próximas edições”, salienta o organizador do evento Toninho Simão.

O presidente da CDL Juiz de Fora, Marcos Casarin, ratifica. “A participação no Comida di Buteco reafirma nosso compromisso em fomentar a economia local e estimular a melhoria contínua dos estabelecimentos. São objetivos bem alinhados com o concurso que oportunizaram dias de bons negócios para os empreendedores e momentos prazerosos para o público”.

Este ano, o Bar do Torresmo, localizado no bairro Ipiranga, levou o título de melhor boteco da cidade, com o prato "Moelinha à moda de buteco".

DIA DAS MÃES DEVE ESTIMULAR CERCA DE R$ 20 BILHÕES NO COMÉRCIO NO PAÍS

21 VENDAS DIA DAS MAES

A segunda data em que o varejo mais fatura está chegando – o Dia das Mães. Mais de cem milhões de brasileiros devem presentar suas mães, o que deve injetar quase 20 bilhões de reais nos setores de comércio e serviço. Segundo dados da pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 58% dos entrevistados pretendem dar presentes melhores do que no ano passado, com o desejo também de gastarem mais de R$ 150. Outro número importante é que 53% dos consumidores vão pagar à vista e no dinheiro.

No ranking dos produtos mais procurados estão: roupas (42%), perfumes (36%), calçados (23%) e cosméticos (21%). Para os compradores, a qualidade é o ponto chave para adquirir determinado produto, mesmo que o valor seja um pouco mais elevado. E por que não aliar as compras para o Dia das Mães com diversão? Ainda segundo a pesquisa, os shoppings é a opção em destaque para os consumidores.

Pesquisa de preços é algo levado em conta. Tanto que 80% das pessoas afirmam que já estão pesquisando os melhores valores. Neste cenário, 73% fazem consultas em sites, principalmente o Google, antes de comprarem qualquer produto.

Fonte: https://goo.gl/BiHpwM

Novo Cadastro Positivo

19 cadastro positivo

Mudanças nas regras devem estimular análise justa e individualizada na concessão de crédito, o que favorece redução do spread bancário

O Cadastro Positivo, ainda pouco conhecido entre os consumidores brasileiros, entrou em evidência nos últimos meses após um Projeto de Lei Parlamentar (PLP 441/2017) propor a inclusão de todos os consumidores que possuem CPF nesse banco de dados.

Entenda as vantagens do novo modelo e esclareça oito dúvidas sobre o assunto:

1 – Todos os consumidores são obrigados a participar e permanecer no Cadastro Positivo?

Não. Embora todos os cidadãos titulares de CPF passem a fazer parte do Cadastro Positivo, os consumidores que quiserem retirar suas informações poderão fazê-lo a qualquer momento, de forma gratuita, e até mesmo por telefone. A principal mudança das novas regras é que o Cadastro Positivo deixa de vigorar sob o modelo opt-in, em que para participar é preciso solicitar adesão voluntária, e passa a funcionar sob o modelo opt-out, pelo qual todos os que têm CPF entram no banco de dados, mas podem solicitar a própria exclusão.

2 – O histórico de pagamento dos consumidores sempre estará visível para as empresas credoras?

Não. Apenas a ‘nota de crédito’ (pontuação que indica o perfil do consumidor baseado em seu histórico de pagamentos) é visualizada no momento da análise de crédito. O detalhamento desse histórico de pagamentos só será acessado pela empresa credora após um pedido expresso de autorização no momento da análise de crédito.

3 – Todas as informações de compras dos consumidores constarão no Cadastro Positivo?

Não. As informações que vão compor a ‘nota de crédito’ são basicamente as informações de pagamento como: quitação das faturas do cartão de crédito, parcelas de empréstimos, financiamentos, compras a prazo e despesas com fornecimento de água, luz, gás, telefone fixo e TV por assinatura. Uma das vantagens desse modelo é que alguém que nunca pegou empréstimo no banco ou não possui cartão de crédito poderá ter seu perfil financeiro identificado pelo mercado, já que outros tipos de contas também são avaliados. Os dados financeiros que aparecerão na consulta do histórico são: valor total das compras realizadas, valor das parcelas, data dos vencimentos, data dos pagamentos e dados cadastrais do consumidor, como nome, CPF, data de nascimento e endereço. Informações sobre o que foi adquirido pelo consumidor e onde ele comprou não são considerados para o Cadastro. Tampouco constarão informações relacionadas à origem social, étnica, política, religiosa e sobre a saúde do consumidor, pois excedem a atuação do sistema financeiro, sendo pouco relevantes para uma análise de crédito.

4 – O Cadastro Positivo prejudica os consumidores?

Não. Com o novo Cadastro Positivo, a avaliação de crédito será mais individualizada e assertiva por parte das empresas, fazendo com que os consumidores sejam avaliados pelo seu histórico de pagamentos, ou seja, pelas contas pagas, e não apenas pelos compromissos que estão atrasados (inadimplentes). Com mais informações sobre o histórico de pagamentos realizados pelos consumidores, o risco das operações de crédito vai diminuir, o que tende a favorecer a queda do spread bancário, que é a diferença entre os juros que as instituições financeiras pagam para captar recursos e o que elas cobram efetivamente de quem emprestam. Como atualmente há escassez de informação, o bom pagador é penalizado pelo consumidor inadimplente, fazendo com que os juros sejam elevados para todos, independentemente do seu comportamento financeiro.

5– O Cadastro Positivo deixa os dados dos consumidores desprotegidos?

Não. A privacidade e o sigilo bancário dos consumidores são mantidos com o Cadastro Positivo. Informações como as movimentações da conta corrente, investimentos e depósito em poupança não serão utilizadas. As empresas nem mesmo terão acesso a essas informações.

Qualquer infração, como vazamento de informações ou uso indevido dos dados para finalidades que não sejam a análise de crédito, estão sujeitas às sanções previstas no Código de Defesa do Consumidor e na Lei de Sigilo Bancário.

6– Bancos e empresas vão consultar o histórico de pagamentos do consumidor sem o seu consentimento?

Não. Somente as informações sobre a ‘nota de crédito’ serão acessadas pelas empresas nas quais o consumidor busca crédito, e não de forma aleatória por qualquer empresa. A abertura do histórico de pagamentos ainda necessita da autorização expressa do cliente e também só será acessada pela empresa em que o consumidor tenta obter crédito.

7– Dados de redes sociais serão armazenados e compartilhados no Cadastro Positivo?

Não. O Cadastro Positivo contempla e consolida apenas as informações sobre pagamentos dos consumidores e não informações de teor comportamental colhidas em redes sociais.

8– O Cadastro Positivo vai beneficiar os grandes bancos?

Não. O Cadastro Positivo será uma medida pró-concorrencial, pois vai descentralizar as informações de crédito dos grandes bancos. Atualmente, essas instituições financeiras já possuem informações sobre o perfil de pagamento dos clientes com os quais mantêm relacionamento, mas esses dados ficam restritos a essas empresas. Com o Cadastro Positivo, outros players, como fintechs, instituições financeiras de menor porte, cooperativas de crédito e empresas do varejo terão condições de conhecer seus clientes além dos apontamentos de inadimplência, fato que aumenta a competição na oferta de crédito no mercado e, consequentemente, favorece a redução das taxas de juros.

FONTE: https://goo.gl/2dckHS

Promissora parceria

 

Post 17 SEG TAXI 2

Seg Rastreadores, em parceria com a CDL/JF, lança APP que promete movimentar a economia de JF

Em maio, A Seg Rastreadores, em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Juiz de Fora (CDL/JF), lança o Seg Taxi, aplicativo que promete movimentar a economia da cidade com segurança, legalidade e funcionalidades que vão além da simples corrida para pegar um táxi. “É uma ferramenta inovadora, que vai contribuir muito para alavancar negócios, fidelizar clientes e atrair turistas. Algo que não há similar no país”, garante o empresário Christian Souza, à frente da novidade.

A proposta foi apresentada em primeira mão ao presidente da CDL/JF, Marcos Casarin, com a presença dos representantes do sindicato e associação dos taxistas, Aparecido Fagundes, Amarildo Correa e José Paulo Moreira. O que chamou mais atenção de todos foi a arquitetura do aplicativo, que além de descontos e fidelização dos consumidores, pode integrar ações para atrair turistas, informações de comércio e eventos, e o mais importante: compor com outros aplicativos que tenham o mesmo objetivo, como o APP CDL Descontos & Vantagens. “Nossa meta é sempre fomentar negócios, de forma transparente, ética e com benefícios concretos para os empresários da nossa cidade e seus clientes. Por isso, não medimos esforços para criar ambiente e situações propícios para inovação, que reflitam sempre em bons negócios”, finaliza Casarin.

Uma marcante experiência em NY

Post 15 NBR BIG SHOW

Tradicional e maior evento do varejo mundial reforça a necessidade de unir tecnologia a um atendimento de excelência para entregar o que o cliente mais procura: uma experiência inesquecível.

Um recorde de público. Ao todo, mais de 35 mil pessoas participaram do maior evento do varejo mundial, promovido pela National Retail Federation (NRF). A 107ª edição da NRF Big Show aconteceu  em janeiro, em Nova Iorque. Foram três dias intensos de muito conteúdo, palestras, exposição, networking e compartilhamento das últimas novidades tecnológicas para o setor. Ao todo, mais de 18 mil varejistas e participantes de 95 países diferentes engrandeceram o já tradicional encontro.

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) marcou presença levando uma comitiva formada por mais de 100 integrantes, e a CDL/JF esteve presente no evento. Os empresários conheceram de perto as novidades e tendências do varejo mundial e trouxeram pra casa uma bagagem cheia de aprendizado.

Ao abrir os trabalhos, o presidente da CNDL, José César da Costa destacou a importância da NRF para o varejo brasileiro. “Daqui a gente sai com grandes ideias que podem ser implementadas no Brasil. Assim será possível construirmos um varejo cada vez mais forte e melhor”, ressaltou José César.

O evento trouxe lições sobre como as empresas do varejo estão se transformando na era digital. Para o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro, a participação na NRF traz novo fôlego para os empresários e é possível ver, na prática, a importância do mundo digital estar presente dentro das empresas. “Estar no mundo digital hoje não significa ter um e-commerce, mas integrar os dois processos – físico e eletrônico – e um ser complementar ao outro”, destacou.

Com uma programação abrangente, a NRF Big Show promove muitas atividades simultâneas.A agenda da comitiva da CNDL foi guiada pela HSM Educação Executiva. A abordagem de destaque deste ano é voltada para a economia da experiência. “Acreditamos que o varejo daqui pra frente é voltado para o cliente. O varejo é serviço e precisa criar uma experiência significativa e única”, afirmou o professor da HSM Luis Lobão.

Experiência
Mas o que significa essa experiência? Para esclarecer, o professor Lobão define a experiência de compra com base em três pilares: jornada do cliente, sensações e transformação. A jornada do cliente é tudo o que integra o caminho percorrido pelo consumidor, desde a escolha da loja ou do produto até a finalização da compra.

Para uma experiência bem sucedida, a jornada deve ser marcada pela ausência de atrito. “A ausência de atrito significa entregar ao cliente o que ele espera receber. Por exemplo, eu vou em uma loja e espero encontrar o produto que estou procurando. Isso envolve ter uma categorização adequada e uma boa gestão de estoque para que eu encontre aquilo que procuro. Mas eu também espero pagar rápido, não quero enfrentar filas, gostaria de ter um bom estacionamento e outras conveniências. São os pequenos detalhes, quando bem trabalhados, que eliminam o atrito na jornada do cliente”, explicou Lobão.

A tecnologia auxilia, mas estruturar uma jornada de sucesso é tornar o seu negócio mais significativo e marcante para o consumidor. E mais do que uma tendência, a jornada do cliente está cada vez mais personalizada. E quanto mais personalização, melhor será a experiência.

Outro pilar que baseia a experiência de compra é pensar em elementos que podem gerar sensações únicas que conectem diretamente àquela loja. De acordo com o professor da HSM, é possível interferir no ambiente para provocar essas sensações, com uma música adequada, conforto térmico, iluminação, identidade visual, design e até uma assinatura olfativa que irão marcar aquela experiência.

“O terceiro pilar da experiência de compra é gerar inspiração. Temos que pensar em como provocar uma transformação naquele cliente. É preciso promover o propósito daquela marca. Engajar as pessoas e compartilhar ideias para que aquele consumidor aprenda algo e mude sua atitude. É estimular uma transformação nos hábitos de consumo e inspirar”, destacou o professor.

Novas tecnologias de perto

Além de conferir as inovações e as principais tendências do varejo para 2018, a comitiva da CNDL na NRF Big Show realizou algumas visitas guiadas à feira de tecnologia. O professor da HSM Educação Executiva, Luis Lobão conduziu o grupo que pode conhecer o que há de mais moderno produzido por grandes empresas. A comitiva conheceu os estandes de marcas como Samsung, HP, Wipro Technologies, International Business Machines (IBM), Mastercard e Intel.

O grupo conheceu tendências sobre inteligência artificial, tecnologias para o varejo e meios de pagamento. “Além das palestras que são um grande aprendizado, a feira apresenta o que há de mais moderno no mundo para o nosso setor”, destacou o presidente da CNDL, José César da Costa. Neste ano, além de temas importantes, como a omnicanal, a combinação de novas tecnologias traz como foco principal a preocupação de estar mais próximo ao cliente e proporcionar uma jornada de compra que torne a experiência dele significativa.

Mais que um produto, uma experiência

Durante a NRF Big Show os integrantes da comitiva da CNDL conheceram de perto alguns exemplos de como transformar o ato de compra em uma experiência relevante para o cliente.

Um dos exemplos de sucesso é o portal AirBnb.  Fundado em 2008, o portal destaca-se com o serviço de ofertas e reservas de acomodações ao redor do mundo. Além de atuarem no ramo de hospedagem, e sacudir as redes hoteleiras, o AirBnb agora oferece experiências nas cidades de destino. Com ele é possível fazer perfume na França, paella na Espanha ou aprender tango na Argentina, complementando assim as opções dos viajantes e proporcionando experiências diferenciadas.

Com foco no mercado de beleza, a marca de unha Juleep também é um exemplo de modelo inovador de negócios. A empresa desenvolveu um teste que personaliza os esmaltes e oferecem cores únicas. Além de garantir a entrega de uma caixa cheia de mimos na casa de suas clientes, a marca inovou ao pensar nas mulheres que pintam sua própria unha ao desenvolver um prolongador que auxilia nessa tarefa. Dessa forma, Juleep mostra que conhece bem a sua cliente, entende e ajuda a solucionar seus desafios.

Outro exemplo de como entender o ciclo de compras é fundamental. A empresa americana PillPack desenvolveu um serviço de entrega kits de medicamentos e auxilia na rotina de uso. É o fim da busca em farmácias e de esquecimentos. De forma personalizada, o serviço pesquisa os preços dos remédios, controla a dosagem, emite lembretes sobre a hora de tomá-los e ainda alertam quando as pílulas estão no fim. Um modelo aparentemente simples, mas que beneficia e fideliza seus clientes, oferecendo praticidade e maior controle para tomar os medicamentos de forma certeira.


FIRAE reúne líderes varejistas de todo o mundo

Antes de começar a programação oficial da NRF, foi realizada uma reunião do Fórum Internacional para Executivos de Associações Varejistas (FIRAE). Pela primeira vez a frente da comitiva da CNDL, o presidente José César da Costa foi recebido pelo presidente do Fórum, Massimo Volpe.

Durante o encontro, José César apresentou aos integrantes do Fórum o cenário da política brasileira em 2018 e ressaltou a necessidade de reformas estruturantes, como a da Previdência e Tributária, para o equilíbrio fiscal e orçamentário. A retomada do crescimento econômico também foi mencionada pelo presidente da CNDL, que destacou o fim da recessão depois de 11 trimestres e a melhoria nos índices de desemprego e confiança do setor produtivo brasileiro.

O Fórum reúne mais de 50 executivos de 31 entidades de todo mundo para discutir soluções e estratégias para alavancar o crescimento do varejo mundial. O encontro abriu espaço para que os executivos apresentem os temas mais relevantes discutidos em seus países atualmente. Seguem alguns destaques:

Austrália – As associações que representam o varejo australiano indicaram que a entrada de grandes redes multinacionais tem impactado consideravelmente seu mercado. Além disso, apontaram que a legislação trabalhista e tributária precisa ser modernizada para que haja estímulo aos empresários do setor. Um outro aspecto destacado foi a falta de mão-de-obra capacitada para atuar no varejo atual, no qual habilidades tecnológicas e um atendimento altamente especializado são fundamentais.

Canadá – Os empresários varejistas canadenses destacam a necessidade de uma regulamentação mais efetiva para as compras online internacionais, de forma a resguardar direitos e até mesmo a sobrevivência das empresas locais. A necessidade de incentivo governamental à adoção de novas tecnologias por parte das empresas varejistas também foi um aspecto ressaltado.

China – Ao contrário do que acontece em diversos países ocidentais, na China um aspecto destacado foi a migração de empresas virtuais para as lojas físicas, movimento que pressiona principalmente os micro e pequenos varejistas. Além disso, os empresários chineses estão adotando cada vez mais o conceito de auto-serviço em seus negócios, ocasionando discussões relevantes sobre empregabilidade e qualidade no atendimento.

Alemanha – Com o crescente número de transações comerciais realizadas pela internet os empresários varejistas alemães estão discutindo com o governo e a sociedade questões relevantes sobre a proteção de dados dos consumidores. Um outro aspecto que tem sido debatido é a necessidade de equalização de direitos e deveres entre empresas físicas e digitais, assim como entre empresas nacionais e internacionais.

Estados Unidos – As políticas de pagamentos e as taxas de transação para cartões de crédito/débito, são o foco das discussões das associações varejistas norte-americanas. Um outro destaque são as políticas internacionais de comércio e infraestrutura, sejam multilaterais ou binacionais, que estão na agenda do governo e impactam diretamente o varejo.

Deputado estadual Coronel Piccinini visita CDL JF

Post 14 Piccinini

Em visita à sede da CDL Juiz de Fora, no último dia 29, o deputado estadual Coronel Piccinini (PSB) discutiu junto à Diretoria da instituição assuntos voltados à segurança pública e aos projetos para o desenvolvimento da região. Ele ainda ouviu as demandas da classe, ressaltando a notoriedade do trabalho do presidente da CDL Juiz de Fora, Marcos Casarin, e apontando as ações assertivas em prol do crescimento da economia local.

 
©2011 - CDL Juiz de Fora - Câmara de Dirigentes Lojistas de Juiz de Fora - Minas Gerais
Sede: Rua Halfeld, 414 , 3º andar - Centro - Juiz de Fora - MG - 36010-900 / Telefone: (32) 3249-2800


Jazz Criações - Criação de Websites